terça-feira, 6 de abril de 2010

[Estudantil] Ato contra a criminalização do ME

Os estudantes da Ufal realizam nesta quarta-feira, 17, um ato contra a repressão aos movimentos sociais, às 17h, na praça ao lado do Restaurante Universitário do campus Maceió. Haverá distribuição de pizzas, exibição de vídeo, microfone aberto e assembléia estudantil. O ato é uma resposta ao processo do Ministério Público Federal, motivado pela reitoria da universidade, que prevê punição a três universitários envolvidos na mobilização para barrar o Reuni em 2007. Lee Flôres (estudante de Letras), Kyvia Murta (estudante de Ciências Sociais) e Flávio Falcão (hoje, médico) podem pegar uma pena de até cinco anos de prisão.

Os três militantes estavam na reunião do Conselho Universitário quando a reitoria autorizou a entrada de seguranças patrimoniais para agredir quem quer que fosse do movimento contrário a adesão do Reuni. Vários estudantes saíram machucados, enquanto ninguém ligado à reitora Ana Dayse teve qualquer arranhão. A repressão chegou ao ponto da polícia federal invadir uma assembléia estudantil pós-agressão para ameaçar com metralhadoras a resposta dos universitários.

O processo contra Lee, Kyvia e Flávio não só atinge individualmente os militantes, como também ameaça qualquer organização estudantil de luta na Ufal, que contará com um perigoso precedente de intimidação à militância social caso os estudantes, repito agredidos, sejam condenados. Segue abaixo o link para ver imagens da agressão dos seguranças aos estudantes.

Vídeo:
http://www.youtube.com/user/campanhacontrarepres

Um comentário:

sindical disse...

Solidariedade desde a pampa gaúcha,contra a criminalização das lutas e da pobreza,protesto não é crime!
Lutar e criar poder popular!